Terceiras Impressões

CONTOS AMARGOS

LEIA COMENDO UM CHOCOLATE, ELES DISSERAM…

Ah, a difícil tarefa de resenhar um pequeno livro de contos sem estragar a brincadeira, porque dá vontade de sair falando de cada história sem o menor pudor. A coletânea possui 16 contos (sendo 4 de cada autor), e promete te arrancar lágrimas e também um sorriso ou outro. 


Contos Amargos

Alessandra MoralesAllana MachadoBruno CatãoPaulo Vitor Mendonça
Editora PenDragon – 2016
Páginas: 100

Sinopse: Olá,
Se você estiver lendo esta sinopse, não compre este livro. Sério, o que você está fazendo com os Contos Amargos na mão? Devolva-o discretamente à estante e ande como quem não quer nada para a sessão infanto-juvenil, pegue alguma ficção científica ou o que quer que os jovens leiam hoje em dia e se esqueça dos Contos Amargos. Os autores garantem que esta seria a melhor decisão. Por quê?
Bom, porque este livro vai quebrar o seu coração, caro leitor. Cada uma das histórias do Contos Amargos foi pensada para tocar as suas emoções de maneiras diferentes e inesquecíveis. Você vai rir, chorar, se apaixonar e se desesperar enquanto devora as páginas deste livro, e tudo isso para quê? Não há finais felizes aqui, caro leitor, só um livro que vai te deixar com um gosto amargo de quero mais. Fuja. Nós avisamos.

PRIMEIRAS IMPRESSÕES: Comprei Contos Amargos na Bienal Internacional do Livro de São Paulo. Na verdade, comprei um para mim e outro para dar de presente. Os autores, super fofos (sim, fofos), autografaram, e pelas dedicatórias espirituosas e irônicas, já imaginava o que me aguardava dentro daquelas páginas. Como é um livro pequeno, comecei a ler no mesmo dia, na volta para casa.

SEGUNDAS IMPRESSÕES:  O interessante é que você passa a reconhecer o ritmo e escrita de cada autor, conforme avança na leitura. Uma coisa que percebi também, é que a ordem não foi disposta de forma aleatória; parece que foi pensada de forma a te conduzir em uma montanha-russa de emoções diversas. Você respira um pouco, dá um sorriso, depois fica com nó na garganta, apreensivo, reflexivo, chora um pouquinho, pergunta “por que vocês, autores, fazem isso comigo?“, sente-se incomodado, chocado, desafiado.

Há temas sensíveis, com os quais qualquer um pode se identificar, que podem mostrar o melhor e o pior do ser humano; há também temas mais polêmicos, expostos de forma áspera, descortinando com sinceridade os sentimentos e desespero daqueles que geralmente são julgados e condenados pela sociedade como pecadores, sem merecer ao menos um segundo olhar. Estes últimos, na verdade, foram os que mais me inquietaram, quase à beira do mal-estar, mas também foram os que me fizeram atentar mais uma vez para nossa hipocrisia. Sim, Coisinha e Retaliação: estou falando de vocês.

TERCEIRAS IMPRESSÕES: Fiquei pensando em como todos temos algo de feio e belo dentro de nós, e que não importa em quem você seja ou quanto dinheiro tenha, a doença e a morte não fazem distinção. E as crianças continuam sendo as melhores pessoas. 
Talvez alguém já tenha usado a palavra agridoce para se referir ao livro, mas é isso que ele é. E como não posso falar mais que isso, vale a menção aos contos que mais me bagunçaram: Meu dono, O sorriso e a ausência, Óv(ul)os, Coisinha, Beijando a lona, Caronte, Doença Silenciosa e Retaliação. 

Você pode encontrar outros contos dos autores no blog Tô Pensando em Ler.

Eu só queria dizer que eu li comendo chocolate, mas adiantou muito, não. rs

  • Alessandra Tapias

    Você leu!!!!!!!

    Aque alegriaaaaaa ♥ Que bom que gostou!!!!! Tô morrendo de amor nessa resenha!!!!

    Vou chamar todo mundo pra ver também!!!

    Obrigada!!!

    Bjks

    • Sim! Essa resenha estava guardada há tempos, porque eu li no mesmo dia em que comprei.
      Que bom que gostou, porque, de verdade, me surpreendi com a leitura! 🙂

  • Larissa Oliveira

    Oi!
    Não conhecia esse livro ainda e fiquei intrigada com as suas impressões sobre ele pois parece que os contos realmente mexeram com você e isso me deixou muito curiosa. Vou anotar a dica e ler assim que possível.
    Beijos!

  • Sua resenha me conquistou de vez no último paragrafo, em:

    “Fiquei pensando em como todos temos algo de feio e belo dentro de nós, e que não importa em quem você seja ou quanto dinheiro tenha, a doença e a morte não fazem distinção.”

    É bem isso mesmo.. não importa quem somos, quanto temos na conta bancária, quanto de influência possuímos e etc, coisas ruins chegam igualmente para todos.

    Me cativou, mesmo eu não sendo muito fã de contos, e vou ver se em breve leio!

  • Aline Belloni

    Eu curto livros que dizem assim: NÃO LEIAM.
    Porque eu sempre fico curiosa e penso: PORQUE?
    E o que eu faço? Vou lá e leio, kkk.

    Enfim, gostei muito do livro, desde a sinopse a capa e pela resenha, ela promete me fazer de boba com tantas emoções diferentes, outra coisa que eu adoro.
    Vou anotar a dica.
    Beijos.

  • O difícil de ler e depois resenhar livros de contos é este mesmo, se conter para não falar muito. Eu conheço o livro, mas não o li. Que legal que conseguiu autografar ambos os livros.
    Bjs

  • Déborah Araújo

    AMO CONTOS!
    Não conhecia o livro, mas gostei muito do que você falou dele.
    Adoro livros com esse tom agridoce…
    Quero muito lê-lo.

  • LILIAN FARIAS

    Oi
    eu não conhecia o livro, infelizmente, adoro contos e a forma como você diz que foi disposta me chamou atenção, quero ter a oportunidade de ler a obra.

  • Andrea Morais

    Olá!
    Adorei a estrutura do seu texto com primeiras, segundas e terceiras impressões =)
    Quanto ao livro, parece ter uma abordagem que gosto muito, adoro livros que me instiguem a refletir sobre a vida, outra coisa que achei massa foi sua nota sobre a organização dele, uma coisa que me incomoda em coletâneas de contos é a falta de organização do livro, então, esse já tem um enorme diferencial.
    Bjss

  • Eu não conhecia o livro mas eu amo antologias e essa sinopse já nos deixa completamente curiosos, né? Gostei da sua resenha e me interessei pelo livro

  • Morgana Brunner

    Oiii,tudo bem?
    Eu sou apaixonada por livros de contos, esse eu já conhecia e fiquei feliz de ler a sua resenha, pois conseguiu despertar o meu interesse, a edição parece estar linda também!
    Beijinhos da Morgs!

  • Apesar de não curtir livros de contos, gostei quando vc fala que pegamos o ritmo do livro ao reconhecer a escrita do autor. Isso é muito bom! Vou ler comendo, mas não chocolate. hehe
    Faces em Livros

  • LITERABOOK

    Olá, tudo bem? Nossa adoro contos, mas essa de quebrar o coração me deixa meio triste porque não curto histórias assim hahaha Sério gente, livro pra me fazer chorar é demais hahahah Quem sabe um dia eu dê uma chance?!
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com

    • Também não é exatamente minha praia, mas como gosto de livros reflexivos, geralmente são esses reflexivos mesmo que me fazem chorar! haha

  • Daniela Souza

    Oi.

    Não conhecia ainda este conto, mas esse enredo me deixou encantada por ele. Adoraria poder ler o livro, tenho certeza que gostaria muito dele e das lições que tiraria depois da leitura. Vou anotar a dica e procurar para ler.

%d blogueiros gostam disto: